Urso do cabelo duro: O dia que abandonei os cosméticos, produtos de limpeza e o shampoo!

Quando comecei a estudar para fazer sabonetes comecei a reparar na quantidade de siglas, números e químicos descritos nos rótulos dos produtos que eu usava. Basicamente era possível estudar análise combinatória do alfabeto com aquelas siglas todas. Se não bastasse esse ponto, o que mais me chocava era o aviso do perigo de ingestão e contato com mucosas… Comecei a pensar: Estou passando na minha pele e vou deixar a coisa por lá sendo absorvida, mas não é bom para ingerir… hummm… algo começou a não fazer sentido, percebi que ao tentar me cuidar estava também me intoxicando. Fora que eu tinha 3 shampoos (para trocar porque o cabelo acostuma o_o ), 2 condicionadores, máscara de tratamento, finalizador, leave in, creme pré lavagem, silicone para cabelos, creme para as mãos, para os pés, para os olhos, para o rosto, para o corpo, para os lábios, creme para cutículas, perfume, desodorante, pasta de dentes com flúor, esmaltes, e a lista seguia… Imagine só a quantidade de químicos que eu jogava para dentro do meu corpo o tempo todo…

Pronto! Decidi deixar aqueles produtos com aqueles conservantes químicos, silicones não solúveis, derivados minerais, animais e todos aqueles rótulos que diziam não conter alguns componentes (que estão começando a ser rejeitados pela opinião pública) como benefício para conter outros bem piores. E lá se foi… uma sacola com bem mais de R$1500 em químicos (maquiagem, esmaltes, produtos de “beleza”, produtos de limpeza). Primeiro pensamento: “Liberdade!!!” (não durou 2 segundos antes do segundo pensamento!) Segundo pensamento: “ Fo……!!!! E agora????? Será que vai dar certo? Como a minha pele vai ficar? E o meu cabelo enrolado? E a casa?”

Noo Poo e Low Poo eram muito difíceis e não me adaptei com as espumas de limpeza, e ainda me incomodava o fato dos produtos aprovados conterem um monte de químicos que eu não aprovava. Então passada a crise, comprei uma cartela de elásticos de cabelo e resolvi confiar nos produtos que eu ia fazer. Comecei usando os sabonetes para corpo e cabelo. De cara a pele ficou excelente, mas os cabelos…. Nos primeiros dias foi um desastre. O cabelo ainda com os silicones e pouco hidratado ficava duro e pesado, parecia bloco de micareta que fica todo grudado. Aos poucos (1 ano para os cabelos) o cabelo foi criando brilho e leveza, foi se adaptando e ficando macio. A pele muito mais hidratada e lisa. Até o calcanhar ficou hidratado!

Quando entrei no cabeleireiro para cortar as madeixas, percebi que parte do cabelo era impecavelmente macia, brilhante e hidratada e as pontas abominavelmente irrecuperáveis. Descobri que o que a química fez com essa parte velha do cabelo era irrecuperável, a não ser que eu aplicasse química mais forte para disfarçar… Resultado? Passei a tesoura e fiquei feliz com o cabelo perfeito e hidratado que ficou!

Hoje lavo o corpo e cabelo com meus sabonetes (pausa para o merchand www.soulpeco.com.br), passo vinagre de maçã nos cabelos como condicionador e umas gotinhas de óleo vegetal como leave in, ou algum condicionador natural que crio, passo no rosto um composto de óleo com óleos essenciais que criei para mim. Meu desodorante é uma pedra de alumbre ou algo natural que faço. Se preciso de uma manteiga corporal, penso na combinação de manteigas deliciosas que temos com óleos vegetais e óleos essenciais. Pasta de dentes sem flúor! Tudo ficou mais simples. Inclusive meu olfato foi se modificando e criando algumas (muitas ou quase todas) intolerâncias para as coisas artificiais e comecei a adorar o cheirinho de ervas, plantas e óleos essenciais. A economia nos produtos é perceptível e eu percebi o valor de produtos bons! Não só na pele, mas no meu propósito e na energia. No início foi tudo estranho, mas vale a pena insistir!

A mudança passou para a casa! Agora só álcool, vinagre, água, bicarbonato e sabão de côco. A casa está limpa e sem químicos e livre do tal “cheirinho de limpeza”, que no fundo é o cheiro de um milhão de químicos que fazem mal para a saúde e meio ambiente.

Sempre pensei que isso fosse coisa de gente sem noção, hoje, após dois anos de mudança, percebo que sem noção era eu fazendo escolhas sem consciência.

Meu convite não é para as pessoas abandonarem seus produtos, mas para começarem a tomar consciência do que estão usando e para aqueles que já estão querendo abandonar esses produtos e ainda estão receosos… meu relato é para dizer: sim, é possível! São necessários ajustes e começar a se descobrir, mas é possível!


Originally published at cd144.tumblr.com.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s