Cogumelo amarelo

Essa é um conto daqueles que eu gosto de começar com

ERA UMA VEZ… num reino distante, havia um reino de gnomos. Os gnomos daquele reino tinham o costume de plantar e cuidar dos seus cogumelos em família. Cada família plantava e cuidava de um ou alguns cogumelos. Com o passar dos anos, percebeu-se que alguns cogumelos eram cuidados por uma família, mas haviam sido plantados por membros de outras, mas nem sempre aquilo ficava muito explícito.

Em uma certa família, uma criança gnominha passeava na sua plantação de cogumelos. Ao olhar para os cogumelos ela questionava os gnomos pais “está faltando um cogumelo?” E eles diziam que não. A gnominha acreditava, mas em sua imaginação passava horas pensando em como seria se houvesse mais um cogumelo e então sonhava com aquele cogumelo que faltava. Ficava pensando em suas características… se seria um belo cogumelo amarelo… como seria se aquele cogumelo estivesse lá… como ela se sentiria mais completa… e então chorava muito quando lembrava que tinham dito que o tal cogumelo que ela achava que faltava não existia. Existia uma dor genuína e verdadeira pela ausência do cogumelo.

Era uma dor profunda! Parecia que tinha um buraco! Ela sonhava com a existência de um cogumelo que diziam não existir!

Toda vez que entrava em seus devaneios sobre o cogumelo chorava em silêncio, mas se convencia de que o cogumelo não existia. E assim os anos se passaram… e ela foi tentando esquecer o cogumelo.

Um dia, já crescida, foi pedir alguns conselhos para um ancião do reino porque sentia um buraco que nunca preenchia. Então o ancião falou “Você precisa falar com o cogumelo amarelo da sua família.” Então a gnominha disse “Mas não existe cogumelo amarelo. Eu sempre sonhei com ele e quis que ele existisse, mas meus pais gnomos sempre disseram que só haviam plantado dois cogumelos vermelhos.” Então o ancião afirmou “Existe um cogumelo amarelo e você não sabe!” E acrescentou “Cuidado se você encontrar para não ficar fixada no cogumelo. Você pode não reconhecer como o cogumelo da sua família. ”

A gnominha então ficou radiante por um tempo, mas depois chorou! Como acharia o cogumelo amarelo. Tantos cogumelos coloridos no reino. Qual seria o amarelo que ela procurava? Como encontraria? Então passou a sonhar novamente em encontrar o cogumelo e preencher o vazio que sentia.

Já sem muita esperança um belo dia, sem qualquer intenção e sem lembrar de nenhum cogumelo, caminhando num jardim, esbarra num cogumelo. No primeiro segundo percebeu que seu coração batia muito rápido, ela se sentiu fixada no cogumelo. Suando e nervosa ficou olhando o cogumelo! Não podia acreditar! Um cogumelo amarelo! Mas será que era aquele pelo qual tanto procurou? Ela não tinha certeza, mas lembrava das palavras do ancião de que ela se sentiria fixada no cogumelo! Então tratou de respirar, mas enquanto olhava o cogumelo ela reconhecia características dos cogumelos da sua família. Ela reconhecia traços do cogumelo! E a cada respiração o coração batia mais rápido e ela ia se sentindo preenchida! Uma felicidade, misturada com ansiedade. Parecia que seu vazio tinha acabado! A busca de toda uma vida tinha chegado ao fim! Ela encontrou o cogumelo!

Mas ela não podia dizer pra ninguém que aquele era o cogumelo amarelo. E nem poderia falar para o cogumelo que ele fazia parte de sua família, pois outra família dizia que o havia plantado.

Por uns instantes não soube o que fazer, mas então percebeu que toda sua vida buscou algo que diziam que não existia e sentiu um buraco imenso e naquele instante o buraco foi preenchido como num passe de mágica! Ela sabia que talvez nunca mais fosse ver o cogumelo, mas só sabia que vê-lo, nem que fosse por alguns segundos, curou um vazio de uma vida.

Então a gnominha olhou para o céu, respirou, e ao invés de tentar fazer algo, saber mais, simplesmente agradeceu. Talvez ela nunca confirme que aquele cogumelo era o tal que ela buscava, mas aquele cogumelo trouxe o preenchimento que ela sempre buscou.

Se era ou não o cogumelo amarelo certo talvez ela nunca descubra, mas agora está livre para fechar sua busca e plantar seus próprios cogumelos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s