Esquilos…

Estive no ano passado em um dos lugares mais incríveis que já visitei: Monte Shasta. O lugar além de maravilhoso, tem uma energia incrível e favorece e muito a comunicação com os outros reinos. A natureza inteira se expressa e fala! Lá também foi a primeira vez que falei com esquilos. Foram algumas poucas conversas até conseguir começar a calibrar o tempo deles e o meu. Confesso que um grande desafio. Eles não são apenas rápidos na ação, mas sua energia também tem uma certa agitação. Foram dois pequenos encontros em particular que quero trazer aqui.

Alguns esquilos sempre se aventuravam a atravessar as estradas. No caminho todo a tentativa era de informar que estávamos passando para que eles não se lançassem na frente dos carros. Alguns esperavam, outros achavam que conseguiam passar, mas um em especial me chamou a atenção, ele não parecia certo sobre querer atravessar. Paramos para falar com ele e ele informou que estava doente. De pronto observei algumas massas no seu corpo. Ele mencionou que era difícil calibrar as travessias. Apesar de não estar tentando se matar, estava praticamente se lançando a morte, mas foram idéias um pouco estranhas que não tivemos oportunidade para desenvolver. Ele mencionou uma espécie de envenenamento que através do que ele mostrou, só pude identificar como a ingestão de comidas humanas. A única preocupação que aquele esquilo tinha eram seus filhotes. Queria ter certeza que ficariam bem e pediu se era possível entrar em contato com eles para transmitir o ensinamento sobre atravessar a estrada. Ele pediu isso, porque tentamos transmitir para ele esse ensinamento, e foi aí que ele mostrou estar doente e a conversa pode acontecer. Então naquele ponto, usando as técnicas do ThetaHealing, fizemos um download para os bebês esquilos de como fazer as travessias. Aquele esquilo também disse que podíamos ajudar outros esquilos fazendo isso, pois muitos não tinham muita noção do que estavam fazendo ao atravessar as estradas.

Um segundo encontro na estrada também chamou a atenção. O esquilo atravessou no pior momento o possível. Tentamos ver se ele aceitava um download ou ajuda para atravessar a estrada, mas seu cérebro parecia estar em um pequeno curto. Parecia completamente drogado e entupido! Aquilo me chamou a atenção. A sensação de paranoia, de euforia, de vício, era tudo o que o esquilo conseguia transmitir. Então, com muito esforço tivemos uma pequena troca de palavras e ele mostrou o que ele queria. Então foi possível ver bolinhas de M&M espalhadas pelo chão e dois esquilos devorando. O açúcar e a química deixaram os esquilos completamente fora do seu estado natural, sem discernimento também. Dominados pelo vício e pelo efeito do açúcar e das químicas eles demonstravam raiva e vício pelas coisas que os humanos acabavam largando na floresta.

Quando comecei a contar essa história, tinha vários pontos que queria mencionar e trazer para reflexão, tanto sobre os esquilos quanto sobre a alimentação, mas resolvi deixar apenas essa descrição dos acontecimentos, um pedido para não largarem “comidas” humanas ou alimentarem animais com isso. E resolvi aproveitar e apenas finalizar com a pergunta, você já pensou o que sua alimentação e as coisas que você usa causam em você?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s