Procurando

Ontem fiz uma mini enquete sobre o que falta AGORA na vida das pessoas e se faltaria algo depois.
Foi muito interessante, pois apenas 1 pessoa respondeu que não faltaria. Todas as outras responderem que ainda faltaria. Algumas listaram uma série de coisas que precisam trabalhar (internamente), outras disseram que são eternos insatisfeitos, outras pessoas se tocaram que nunca parece ser o suficiente.
Em uma das meditações fui investigar o que faltava também na minha vida e quando (ou se) seria o suficiente.
Certa época da minha vida o buraco era tão grande que eu estava em cursos de auto conhecimento constantemente, terapias semanais, tinha uma lista das coisas que queira trabalhar. Era uma busca incansável sempre olhando para o que faltava, olhando para o que doía, olhando para trás. Até que um dia em uma terapia eu senti pela primeira vez que não era mais para trás que queria olhar, era para frente, para a minha vida, para o agora.
Quando me dei conta disso, percebi que comecei a olhar para quem eu sou de verdade e quais os meus valores fundamentais. Percebi que algumas coisas não preciso trabalhar, pois estava querendo forçar algo que achava que tinha que mudar, mas que no fundo sou eu, são os meus valores, o que eu tinha que perceber é que a necessidade anterior de trabalhar uma questão não vinha da minha essência e sim do que eu projetei para mim.
Então vendo as respostas todas lembrei dessa fase de algo sempre faltando, essa eterna insatisfação com a promessa de ser preenchida por algo, mas quando vamos retirando as projeções e olhando para o que é essencial é tão pouco o que queremos de verdade e precisamos. Simplesmente queremos nos expressar, sermos nós mesmos! Estarmos em paz! Plenitude! Então me dei conta que as camadas e camadas que estavam sendo trabalhadas eram simplesmente as camadas que impediram que eu me visse, eram as camadas de dor que impediam de ver a vida, as camadas que me diziam o que eu era.
Então passamos a vida procurando algo, quando no fundo só estamos procurando por nós mesmos!

Uma sugestão: veja o que está falando na sua vida, veja como vc se sentiria quando isso acontecesse e vá repetindo e explorando o processo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s